Volskwagen Polo MSI (divulgação)

Em meio a tempos de incertezas, congelamento de investimentos por conta da pandemia e até alguns projetos cancelados, a Volkswagen teve parte de seus planos futuros revelados. O Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté e Região (Sindmetau) confirmou que a marca alemã lançará o inédito Polo Track e que ele será produzido na fábrica do interior paulista.

Pouco ainda se sabe sobre esse inédito Polo Track, mas existem alguns rumos para ele. O mais cotado, em virtude do nome, é uma versão aventureira do hatch compacto nos moldes do que já foi feito com Fox Track, Gol Track e up! Track.

Seria uma alternativa de custo mais baixo ao Nivus, podendo servir como intermediário dentro da linha Polo. Como o foco da linha Track sempre foi custo mais baixo, provavelmente o motor TSI ficaria de fora. Caso isso aconteça, é um retorno da VW ao mercado que já foi do CrossFox, além disso, serviria para brigar com o Fiat Argo Trekking, que tem feito muito sucesso.

Outra possibilidade é que esse Polo Track será uma versão mais barata do hatch compacto para enterrar de vez Gol, Fox e up!. Essa versão seria menos equipada e com custos mais baixos em relação ao Polo MPI de entrada. Podendo, até mesmo, manter o visual atual, enquanto as demais versões serão reestilizadas.

Na mesma pegada do Chevrolet Joy, esse Polo Track deixaria a VW tranquila, já que o trio Gol, Fox e up! terá de se aposentar até 2022 por conta da obrigatoriedade de instalação de controle de tração e estabilidade. É até possível a instalação do equipamento em todos eles, mas o próprio sindicato já havia indicado que eles morreriam antes disso.

A terceira probabilidade é que esse seja o nome do novo SUV subcompacto da Volkswagen. Há tempos o nome T-Track circula na mídia como batismo do novo modelo de entrada da marca. Ele seria uma espécie de Taigun reavivado, mas com plataforma MQB-A0 do Polo, não a do up!.

Seria esse o terceiro modelo da VW desenvolvido no Brasil e que será vendido lá fora. O primeiro já foi o Nivus, que será produzido também na Espanha, enquanto o segundo é o SUV médio derivado do projeto Tarek, que será vendido nos EUA, Canadá e México.

Além de toda essa fumaça em torno do Polo, o sindicato confirmou que Taubaté receberá a plataforma MQB para produção compartilhada do Polo com São Bernardo do Campo. É possível que a Volks opte por produzir versões diferentes em cada planta, aliviando a pressão sobre São Bernardo, que hoje faz também o Nivus.

>>VW Nivus entra para lista dos SUVs mais vendidos do Brasil

>>Comparativo: Nivus Highline e Tracker LT são tão iguais e tão diferentes

>>Avaliação: VW Nivus supre os órfãos do Golf que não gostam de SUV?