carros
Fiat Multipla [divulgação]

Com a nova temporada de Stranger Things prestes a estrear na Netflix, resolvemos juntar aqui cinco carros com interiores tão horrendos quanto os monstros do Mundo Invertido. Até porque, boa parte dos modelos aqui presentes são agradáveis por fora, o que lhes falta é beleza interior.

Fiat Multipla

Colocar a Fiat Multipla em uma lista de carros mais feios já produzidos no mundo é corriqueiro, mas a marca italiana conseguiu fazer até mesmo o interior desse carro algo mais bizarro do que as coisas que acontecem em Stranger Things. Nada parece estar no lugar certo, tanto que o painel de instrumentos está no meio do carro, mas virado ao motorista (melhor que o Etios).

O console central é uma verdadeira bagunça, com manopla de câmbio dividindo espaço com rádio, saídas de ar, porta-copos e o painel – tudo parece ter sido jogado aleatoriamente ali. Até porta é estranha, onde uma sessão plástica com maçaneta, caixa de som e botões do vidro parece uma bolsa. Pelo menos o espaço é gigante, como o Mundo Invertido.

Toyota Etios

Toyota Etios [divulgação]
Toyota Etios [divulgação]
O exemplo mais brasileiro de todos não poderia faltar. Apesar de também não ser muito exemplo de beleza externa, o maior problema do Toyota Etios está em seu interior, especialmente nos primeiros anos. O clássico painel Balança Filizola acompanhado pelo espaço em branco deixado à frente do volante é algo que nunca vamos entender.

Nem mesmo a Eleven consegue defender a escolha de cores cinza e bege do interior dos primeiros Etios, assim como o volante vindo do Yaris antigo. Mas as saídas de ar paralelas ao lado direito do sistema de som (e depois da central multimídia) mais parecem os olhos que faltam ao Demogorgon.

Pontiac Grand Prix

carros
Pontiac Grand Prix [divulgação]
Em um primeiro olhar, pode até parecer um interior bastante moderno para o final dos anos 1980 e começo dos 1990. Mas de quem foi a ideia genial de colocar botões bem no meio do volante onde deveria estar o airbag? E os botões no console que são inclinados para a frente e quase impossíveis de olhar ao dirigir. Isso sem contar os tons de marrom típicos da época.

Para piorar, o painel de instrumentos parece ter vindo de outro carro e foi simplesmente colado ali. Junto a isso, temos uma tela na parte inferior, bem à frente da desnecessariamente grande manopla de câmbio que exibe imagens em qualidades tão ruins que fazem parecer cenas retrô de Stranger Things. Provavelmente um Demogorgon sairá dali.

Toyota Prius

Toyota Prius [divulgação]
Toyota Prius [divulgação]
Enquanto a atual geração do Toyota Prius é conhecida por seu exterior totalmente controverso, sendo um dos carros mais feios feitos pela marca japonesa, o interior da primeira geração é que era complicado. Por fora ele tinha jeito de sedã careta, com estilo inofensivo, mas por dentro a escolha de linha foi mais do que ousada.

Um grande Y divide o painel em duas partes, mas saídas de ar viradas para cima acompanham a tela central de maneira estranha. E como o Etios, o painel de instrumentos é central, mas em uma tela minúscula lá em cima. Nem é preciso falar que a pior parte é a manopla de câmbio gigantesca que mais parece o taco de baseball usado por Steve em Stranger Things.

Ford Taurus

Ford Taurus [divulgação]
Ford Taurus [divulgação]
Em 1995, a Ford estava tão obcecada por ovais que não conseguia desenhar mais nada que não fosse isso em seus carros. Tanto que o Taurus de terceira geração ficou conhecido por seu visual todo redondo que mais parecia uma barata amassada. Mas o interior consegue ser ainda pior. Talvez nem as crianças da série desenhariam algo pior, nem mesmo na 1ª temporada.

Absolutamente tudo no interior é oval: o volante, o painel de instrumentos e até mesmo o local onde rádio e ar-condicionado dividem espaço. Eles estão dentro de uma outra redoma oval que se liga ao console central, no qual a manopla de câmbio é…adivinhe…oval.

>>Os 10 carros mais caros já vendidos no mundo

>>Sexta-feira 13: 5 carros que dão azar aos mecânicos

>>5 carros que quase ninguém sabe como abrir o porta-malas